ACORDO DE LIVRE CIRCULAÇÃO DE PESSOAS ENTRE A SUÍÇA E A COMUNIDADE EUROPÉIA (FREIZÜGIGKEITSABKOMMEN)


A Comunidade Européia tem como principal objetivo promover a colaboração econômica entre os países acoplados. Os instrumentos primordiais para a realização deste objetivo foram inicialmente :


  • a liberdade de circulação de bens;

  • a liberdade de circulação de pessoas;

  • a liberdade de prestação de serviços;

  • a liberdade de transferência de capital.


Com o intuito de participar, pelo menos em parte, da Comunidade Européia, a Suíça assina em 21 de junho de 1999 o Acordo de Livre Circulação de Pessoas. Este entra em vigor em 01 de junho de 2002, possibilitando a todos os cidadãos dos países da União Européia e da EFTA bem como os suíços a circularem e a escolherem livremente seu local de trabalho e domicílio.


Devido ao aumento do número de países acoplados a Comunidade Européia em 2004, fez-se necessário uma complementação deste acordo. Nesta aderiram-se os países da EU 8 bem como as ilhas de Chipre e Malta.


Em 2009 aderiram-se ainda a Rumênia e Bulgária.



Seus principais objetivos são :


  • cidadãos europeus desfrutam de livre circulação, estadia e trabalho dentro da Suíça e países da comunidade européia;

  • facilitação e flexibilidade de prestação de serviços;

  • direito de entrada e estadia para pessoas que não exercem atividade profissional;

  • equivalência de condições de vida e trabalho com os suíços e europeus.



Entrada e Saída


E permitido a todos os cidadãos europeus, suíços, seus familiares e funcionários transferidos por firmas, livre entrada e saída neste espaço apresentando apenas uma identidade ou passaporte válido por no mínimo 5 anos. Ou seja, não é necessário um visto para tal.



Permanência e trabalho


Cidadãos europeus e suíços tem o direito de permanecer e exercer uma atividade profissional. Para tal necessitam de uma autorização de residência ou uma permissão especial para trabalhadores fronteiriços.

Cidadãos que perderem o emprego após terem trabalhado até ou menos de um ano, podem permanecer no país em questão, até seis meses, para procurar uma nova colocação profissional, gozando ainda dos mesmos direitos e auxílio desemprego dos trabalhadores locais.



Familiares


Familiares de cidadãos europeus ou suíços tem o direito de residir juntos, independentemente de sua nacionalidade.


São considerados familiares:

  • cônjuge e descendentes menores de 21 anos de idade e dependentes;

  • parentes ascendentes que sejam dependentes;

  • cônjuges estudantes ou filhos dependentes.


Para familiares com cidadania européia ou suíça necessita-se da seguinte documentação:


  • identidade ou passaporte válido;

  • comprovante de parentesco emitido por entidade oficial de país de origem;

  • comprovante de dependência econômica comfirmando vida familiar.



Direito de Permanência


Cidadãos europeus, suíços e seus familiares tem o direito de permanecer no país escolhido, mesmo após o término de sua atividade profissional.



Ordem Pública


Apenas por motivo de adulteração da ordem pública, segurança e saúde, pode-se restringir algum direito concedido pelo Acordo de Livre Circulação.


Empregados


Regras de Permanência


Em geral, o empregado europeu ou suíço que apresentar um contrato de trabalho por pelo menos um ano , tem direito a um visto de permanência de no mínimo 5 anos. Este visto pode ser renovado por outros 5 anos, caso o empregado não ficar desempregado por mais de 12 meses consecutivos.


Em caso de contrato de trabalho por prazo determinado entre 3 e 12 meses, o visto será concedido com o prazo correspondente a este contrato.


Para contratos de trabalho com prazo de até 3 meses de duração não necessita-se de visto para tal.



Trabalhadores fronteiriços


São considerados trabalhadores fronteiriços, aqueles cidadãos europeus ou suíços que residem em um país e atravessam a fronteira todos os dias ou pelo menos uma vez por semana para exercer sua atividade profissional. Por exemplo: alemães que trabalham na Suíca e residem nas regiões fronteiriças da Suíça.


Neste caso não é necessário requerer um visto de permanência, apenas um comprovante especial.



Mobilidade profissional e geográfica


Todos os tarbalhadores tem direito a trabalhar em todas as regiões, cantões e estados do país escolhido.

A mobilidade profissional significa livre troca de empresa, de cidade, de profissão e até mesmo de tornar-se trabalhador autônomo. A mobilidade geográfica abrange a livre troca de empresa e cidade.



Princípio da Igualdade


O trabalhador desfruta dos mesmos direitos dos cidadãos do país escolhido, como:


  • Condições de trabalho ;

  • Nível salarial ;

  • Requsitos legais de rescisão contratual de vínculo empregatício ;

  • Seguro desemprego



Este Tratado também traz determinações a respeito de mútuo reconhecimento de diploma estrangeiro (artigo 9). Todas as especificações e profissões estão alistadas em seu anexo III.


Faz parte ainda deste mesmo Tratado a regulação de normas relacionadas ao sistema de seguridade social (artigo 8).



Fonte legal:

Abkommen zwischen der Schweizerischen Eidgenossenschaft einerseits und der Europäischen Gemeinschaft und ihren Mitgliedstaaten andererseits über die Freizügigkeit

http://www.admin.ch/opc/de/classified-compilation/19994648/index.html




Patricia Mutzke

Copyright 2020 Patricia Mutzke. All rights reserved